Um erro grave que faz fugir os leitores às primeiras palavras dos seus artigos e como combatê-lo

Esse artigo foi escrito pelo Hugo Costa do Sites e Blogs para a Edição 5 da Revista Blogosfera.

Você pode estar cometendo um erro grave nos seus artigos! E ao cometê-lo está a afugentar os seus leitores desde as primeiras linhas do seu texto. Essa fuga acontece logo no primeiro parágrafo e quem sabe, até mesmo na primeira frase do seu artigo.

Quer saber que erro é este que faz fugir os seus leitores e como o combater? Então sente-se confortavelmente e leia com atenção o resto do artigo.

O que você faria numa situação destas?

Imagine a seguinte situação:

Você vai com a sua família ao parque, o tempo está magnífico e todos estão se divertindo. De repente, o seu filho cai e fica com um grande galo na cabeça. Você decide correr para o bar ou restaurante mais próximo para pedir gelo. Ao entrar, você se dirige ao empregado e diz assim:

“Boa tarde. O meu filho caiu e eu precisava de um saco de gelo porque ele tem um  galo enorme na testa.”

É isso que você diria? Ou você diria assim:

“Ontem, ao ver a meteorologia na televisão, eu e minha esposa decidimos que hoje viríamos com o nosso filho brincar no parque. O tempo está magnífico e até há poucos minutos nós estávamos nos divertindo imenso. Mas, o meu filho de 5 anos que ia correndo, tropeçou numa pedra e caiu. Agora está com um galo na cabeça e eu precisava, se possível, que tivesse a gentileza de me providenciar um pouco de gelo para que eu possa aplicar na linda testa do meu filhote.”

Não lhe parece “ridícula” esta segunda forma de abordar o assunto?

erro grave nos blogs

No entanto, é o que muitos blogueiros fazem. Escrevem como se estivessem redigindo um romance, em vez de escrever como falam. E é, na minha opinião, um grande erro. Principalmente quando se trata do primeiro parágrafo do artigo.

Este tipo de introdução não é, nem natural, nem interessantes e pode fazer com que o leitor se aborreça, pare de ler e fuja do seu blog. E mais, este tipo de frase é, na minha opinião, literalmente contraditória de uma das principais regras da escrita eficaz: ser objectivo!

Quer continuar lendo esse artigo? Então faça o download da Edição 5 da Revista Blogosfera, é inteiramente grátis.

Aprenda a fazer MUITAS vendas no Hotmart, todos os dias, sem investir em anúncios pagos

Gustavo Freitas

Problogger, Professor universitário e Consultor em desenvolvimento e monetização de blogs. Saiba mais no Gustavo Freitas.Net.

Website: http://revistablogosfera.com.br

9 Comentários

  1. Muito interessante este seu artigo. Acredito que muitas vezes cometemos algumas dessas gafes, isso não acontece só com textos, mas também no nosso dia a dia. Na minha situação, eu acredito que se um filho meu tivesse se machucado, eu iria falar tão rápito que falaria da mesma forma escrita no primeiro exemplo. Acredito que para escrever algo ja é mais diferente, temos que revisar o texto após escrito.

  2. Olá Gustavo!

    Muito boa a sua abordagem! Eu sou uma das pessoas que fogem de texto muito complicados e longos também! Acho que nós, como blogueiros e produtores de conteúdo, precisamos ser o mais objetivos possível. Afinal, o leitor busca informação.

    Um grande abraço!!!

  3. Bacana o artigo Gustavo!

    na verdade, eu tento falar com o leitor como em uma conversa mesmo, ainda que não tão informal, mas sem rodear muito o assunto :o)

    • Acho que o ideal é não “rodear” muito mesmo, mas também não ir direto ao assunto.
      Abraço.

  4. Gustavo,

    excelente seu artigo. Realmente, é um erro que cometemos, às vezes, talvez na ânsia de escrever um texto mais “refinado”, podemos acabar escrevendo um texto chato e cheio de “embromation”, hahahaha.

    Grande abraço.

  5. Oi Gustavo, muito bom seu assunto. Bastante pertinente, principalmente pela grande quantidade de blogs que fazem isso atualmente.

    Acredito que um rodeio enorme tira o foco do objetivo verdadeiro da conversa, principalmente para o primeiro parágrafo. Em compensação, ser direto demais não passa nenhuma credibilidade além de induzir os leitores a divagarem a todo o momento por não entenderem o básico sobre o assunto.

    Acredito que a maneira mais simples de criar um texto ideal, sem muitos rodeios mas que o leitor não sinta falta de informações, é utilizando os links de contexto para assuntos base. Se antes de criar um artigo, criássemos todos os artigos básicos para que a pessoa se situe poderiamos aplicar o que você falou na prática. O grande problema é que isso é muito difícil e, em termos de SEO, não ajuda em nada.

    O contexto é importante desde que não faça o usuário Viajar demais.

    Abraço!

    • Anderson,
      obrigado pelo comentário, mas o artigo na revista é do Hugo Costa e não meu 🙂
      Abraço.

  6. Cada um tem um estilo de escrever, isso é fato. Acontece que o bom senso deve ser de primordial importância em qualquer coisa que escrevemos.

    Eu poderia ter caído facilmente nisso pelo fato de ser poetisa e escritora nas horas vagas, mas tomo muito cuidado ao redigir meus artigos para que não vire uma firula.

    Interessante é reler o que se escreve várias vezes e pedir para alguém próximo a você ler (amigos, família, etc). Isso ajuda bastante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *